quinta-feira, 20 de abril de 2017

"Não. Não escrevo o que sou. Escrevo o que não sou. Sou pedra. Escrevo pássaro. Sou tristeza. Escrevo alegria. A poesia é sempre o reverso das coisas. Não se trata de mentira. É que nós somos corpos dilacerados – “oh, pedaço arrancado de mim!”

O corpo é o lugar onde moram as coisas amadas que nos foram tomadas, presença de ausências, daí a saudade, que é quando o corpo não está onde está… O poeta escreve para invocar essa coisa ausente. Toda poesia é um ato de feitiçaria cujo objetivo é tornar presente e real aquilo que está ausente e não tem realidade."
                  Rubem Alves

Rubem.Alves

"Somos assim. Sonhamos o vôo, mas tememos as alturas. Para voar é preciso amar o vazio. Porque o vôo só acontece se houver o vazio. O vazio é o espaço da liberdade, a ausência de certezas. Os homens querem voar, mas temem o vazio. Não podem viver sem certezas. Por isso trocam o vôo por gaiolas. As gaiolas são o lugar onde as certezas moram.

É um engano pensar que os homens seriam livres se pudessem, que eles não são livres porque um estranho os engaiolou, que se as portas das gaiolas estivessem abertas eles voariam. A verdade é o oposto. Os homens preferem as gaiolas ao vôo. São eles mesmos que constroem as gaiolas onde passarão as suas vidas."
                               ( Rubem Alves )

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Get Together

O amor é mais a música que cantamos
O medo é uma forma de morrernos
Você pode fazer aneis de montanhas
Ou os anjos chorarem
Olhe, a pomba é a liberdade.
E você não precisa saber o porquê;
Você pode fazer aneis de monmtanhas,
Ou anjos chorarem.
Olhe, em pássaros está a liberdade.
E você não precisa saber o porquê.
Estejamos juntos.
Sorria com seu irmão.
Todos se reunam.
Experimente dividir o amor.
Alguns virão.
e
alguns irão.
Certamente vamos passar
quando aquEle que nos enviou
Retornar para nós.
Somos uma luz solar,
Mas haverá o momento de desfalecermos
na grama.

Se você ouvir a música que eu canto
entenderá que 
E´você que segura a chave para o amor
e para o medo.
Está tudo em sua mão trêmula.
E apenas uma chave abre ambos.
Está em seu comando !

(versão livre)

domingo, 16 de abril de 2017

Abismos,

Abismos
Percorri o céu,
e o centro da Terra,
procurando algum abrigo,
mas me recolhi
solitária
ao centro do meu peito...

Ao meu amor,
misterioso e extremo,
dedico
o final e o recomeço...

Expulsando a tristeza,
com espantosa
ousadia,
grito bem alto sobre o penhasco,
e novamente me atiro,
nos braços
de amorosos abismos...

reggina moon

domingo, 9 de abril de 2017



"Tem palavras que parecem cacos de vidro,
mas a gente prefere engolir e se cortar por dentro,
do que colocar para fora e ferir alguém." d.a.
O corpo pode suportar muitas dores, mas a alma não.
A vida é capaz de acalentar seu coração, mas massacrar seus sonhos.
Sorrisos podem disfarçar o que se sente, mas só a mente sabe o que se passa.
Quão bom seria que nesse teatro chamado vida, as vezes pudéssemos fechar as cortinas e sair de cena. Mas nem isso podemos.
Estamos fadados... fadados ao fracasso, a esboços de felicidade pra viver nessa sociedade que muito espera e pouco oferece.

Ah o dia! O dia que o fim deste "livro" chegar, vou é vibrar, pois depois de tantas páginas de tormento, e falsidade alheia, enfim poderei repousar no leito do pai.
 Prof. Douglas Oliveira